22 de junho de 2024

Delegado Camargo critica previsão de se gastar R$ 70 milhões para construção de estádio em Porto Velho

Facebook
Twitter
WhatsApp
Deputado entende que o volume de recursos deve ser investido na melhoria dos hospitais públicos e não na construção de um estádio de futebol.

O deputado Delegado Camargo (Republicanos), ao utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa de Rondônia na tarde desta terça-feira, 07, destacou a intenção de uma parlamentar federal que recursos na ordem de R$ 70 milhões para construção de um estádio de futebol na capital. Camargo diz se tratar de um investimento inoportuno neste momento que Rondônia vive, definindo como uma “verdadeira calamidade púbica” na saúde do estado. “Cada um sabe o que faz com as suas emendas, com seus recursos, mas acho que a prioridade não é estádio de futebol, mas sim, salvar vidas”, disse

Camargo entende que o incentivo ao esporte, especialmente o amador, contribui com o desenvolvimento social, educacional e cultural, mas aponta que o momento exige uma maior preocupação com a saúde pública. “As pessoas estão morrendo nos corredores dos hospitais públicos por falta de leitos, faltam exames básicos, não tem remédio na prateleira das farmácias públicas e está se pensando em gastar R$ 70 milhões em estádio de futebol. Eu sou responsável pelas minhas emendas e as tenho aplicado basicamente em Saúde, Educação e segurança, mas acho que alocar um recurso desse volume para construção de um estádio de futebol não é a prioridade do momento”, observou.

Preocupado com a situação da saúde em todos os municípios de Rondônia, Camargo afirmou que o valor que se pretende gastar para a construção de um novo estádio de futebol na capital seria suficiente para reformar os hospitais públicos, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto atendimentos (UPA), que estão lotados e sem nenhuma condição de receber mais pacientes. “Acredito no esporte como um instrumento importante, mas, no momento em que vivemos, onde os hospitais estão lotados, quando a nossa saúde pública está agonizando na UTI, as Unidades Básicas de Saúde e as Upas necessitando de reforma, de medicamento, de aparelhos para exames, não acho necessário se gastar R$ 70 milhões na construção de um estádio de futebol, quando já temos um na capital, que atende às necessidades”, disse Camargo.

O deputado também pontuou a necessidade de se investir em infraestrutura para prevenir enchentes e enxurradas, especialmente na capital, onde os alagamentos são constantes. “SE o governo do estado achar que a saúde do estado está ótima, que os hospitais públicos não precisam de melhorias, como por exemplo, em banheiros dignos para uso dos pacientes e dos servidores, que estes R$ 70 milhões que estão querendo gastar com estádio de futebol sejam investidos em melhoria da infraestrutura e prevenção de alagamentos na capital do estado, onde há um problema crônico de escoamento de água e frequentemente se registra alagamentos nos mais diversos bairros da cidades”, disse.

Homenagem

Revestindo a tribuna com a bandeira do Rio Grande do Sul, o deputado Delegado Camargo, que é gaúcho de nascimento, se solidarizou à população do estado sulista que sofre com enchentes há mais de 10 dias. Camargo destacou se tratar do maior desastre ambiental de todos os tempos no Rio Grande do Sul, desejando força ao povo gaúcho neste difícil momento.

Ainda na tribuna, Camargo elogiou a ação humanitária do governo de Rondônia que enviou uma equipe de socorristas para ajudar as autoridades gaúchas nas operações de busca e salvamento dos atingidos pelas enchentes nos quase 400 municípios. “Quero parabenizar e agradecer a ação humanitária do governo de Rondônia que destinou equipe, equipamentos, aeronaves, para apoiar as ações de resgate do povo gaúcho. Me solidarizo com esta ação do governo do estado e destaco, se tratar de um ato de grandeza, digno de elogios. Nesta o governo acertou”, disse o deputado.

 

Foto: Antônio Lucas/Alero

Compartilhe

Picture of Alerta Notícia

Alerta Notícia

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail

Whatsapp – 69 992491509

E-mail –[email protected]

Comentários

Feito com muito 💜 por go7.com.br