20 de junho de 2024

Governo alerta para risco de perder habilitação por falta de um exame

Facebook
Twitter
WhatsApp

As multas começarão a ser aplicadas em 1º de maio. Para verificar se o último teste ainda está válido, o motorista pode realizar uma consulta diretamente na Carteira Digital de Trânsito (CDT)

OGoverno Federal emitiu um importante alerta para motoristas em todo o país nesta semana, referente ao exame toxicológico obrigatório. Cerca de 3,4 milhões de condutores das categorias C, D e E ainda não realizaram o exame, e estão sujeitos a perder a carteira de habilitação caso não regularizem sua situação.

A não realização do exame dentro dos prazos estabelecidos pode resultar em multa de até R$ 1.467,35, sendo considerada uma infração gravíssima. A Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) continuará enviando alertas aos motoristas para garantir que estejam cientes da obrigatoriedade.

Para entender como funciona o exame toxicológico para essas categorias, é importante ressaltar que ele é obrigatório para motoristas profissionais que dirigem caminhões, vans ou ônibus. A regra se aplica a habilitações novas ou renovadas a partir de 3 de setembro de 2017.

Os motoristas devem realizar o exame dentro dos seguintes prazos: até 31 de março para aqueles com carteiras de validade entre janeiro e junho, e até 30 de abril para os com carteiras de validade entre julho e dezembro. Além da multa, o condutor flagrado sem o exame também perderá sete pontos na carteira.

As multas começarão a ser aplicadas em 1º de maio. Para verificar se o último teste ainda está válido, o motorista pode realizar uma consulta diretamente na Carteira Digital de Trânsito (CDT). Após o download da plataforma, basta acessar a área do condutor e clicar no botão “Exame toxicológico”. Na página seguinte, será possível verificar se o prazo para realização está vencido. Em caso afirmativo, o motorista deve procurar um laboratório credenciado e realizar o procedimento.

Compartilhe

Picture of Alerta Notícia

Alerta Notícia

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail

Whatsapp – 69 992491509

E-mail –[email protected]

Comentários

Feito com muito 💜 por go7.com.br