22 de junho de 2024

Governo e deputados devem iniciar nova guerra a partir da próxima semana

Facebook
Twitter
WhatsApp

Emendas de deputados não são mais liberadas, por isso os parlamentares decidiram revidar

Deputados já se reuniram e decidiram que por enquanto não votam nada do governo. Na próxima terça eles se reúnem novamente e podem decidir subir o tom

Uma nova guerra está sendo travada entre deputados estaduais e governo do estado. Por enquanto o pau está comendo somente nos bastidores, mas parlamentares podem subir o tom, devido à pressão de prefeitos do interior. Os deputados se reuniram recentemente e decidiram que por enquanto não votarão mais nada do governo.

Na próxima semana diversos prefeitos estarão em Porto Velho, e alguns já estão furiosos, porque emendas parlamentares não estão sendo liberadas pelo governo. E na próxima terça-feira (30) os deputados se reúnem novamente para tratar do assunto e podem decidir subir o tom dos discursos.

A coisa já não estava boa, mas esquentou muito nos últimos dias, no caso da emenda de R$ 1 milhão de um dos deputados para o circuito de rodeios de Rondônia. O parecer teria sido pela impossibilidade “por indícios de fraude” e ausência de prazo hábil. Os parlamentares consideraram o parecer uma declaração de guerra, alegando não haver nada de errado com a emenda.

De acordo com o que circula nos bastidores políticos, estaria ocorrendo uma briga interna no governo. “Acontece que essa briga interna está atingindo a Assembleia Legislativa e prejudicando os municípios”, disse um dos deputados que concordou em conversar com a equipe do blog.

Alguns deputados estavam tentando contornar a situação, mas o que aconteceu com a emenda de R$ 1 milhão acabou sendo a gota d’água que transbordou o copo. Até os governistas mais atuantes enfrentam dificuldades, porque os demais cobram uma atitude do governador, diante da crise instalada.

De acordo com os deputados, nesse momento existem categorias se preparando para iniciar greves, por isso a tendência é que as coisas esquentem muito, politicamente. Se precisar remanejar recursos para evitar paralisação de servidores, o governo terá que enviar um projeto para a Assembleia Legislativa, que não está votando nada vindo do Executivo.

Atualmente, é cessado rapidamente o trâmite dos poucos projetos encaminhados pelo Executivo que chegam a ser lidos em plenário. O deputado Delegado Camargo pede vistas e a matéria fica engavetada, não sendo colocada novamente em pauta.

Um outro deputado que concordou em falar com a equipe do Entrelinhas disse que a tendência é os parlamentares subirem o tom dos discursos mesmo. “O governador não pode deixar de tomar uma atitude diante de uma situação dessas. Já estão dizendo que a mão dele está por trás dessa movimentação”, considerou.

Outro deputado disse que aparentemente o governador não tem mais comando sobre o que acontece nos bastidores, por isso não se envolve nessas situações. “Muita coisa tem a ver com as eleições. Por enquanto a tendência é que as coisas piorem, pois aparentemente nossas emendas estão sendo travadas porque parece que estão fazendo caixa”, avaliou.

O prenúncio é de tempestade forte. O governador não é São Pedro, mas pode soprar as nuvens para longe, caso decida se movimentar.

Por Nilton Salina

Compartilhe

Picture of Alerta Notícia

Alerta Notícia

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens. Nós usamos cookies em nosso site para oferecer a melhor experiência possível.

Para mais informações sobre e-mail

Whatsapp – 69 992491509

E-mail –[email protected]

Comentários

Feito com muito 💜 por go7.com.br